Livros eletrônicos reduzem estigmas da leitura solitária

30/08/2010 16:28

Muito já foi escrito sobre a capacidade da tecnologia de conectar pessoas. Mas enterrar-se em um livro sempre foi algo que isola a pessoa um pouco. O que dizer, então, de um aparelho que fica na intersecção entre os dois? "Estranhos me perguntam sempre sobre ele", comenta Michael Hughes, assessor da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, sobre o iPad em que lê romances e não ficção. "Isso raramente ocorre com livros feitos de árvores mortas."

A Amazon informou que as vendas do Kindle até agora são três vezes maiores que as de 2009. Após a empresa reduzir o preço do leitor em junho, no mês seguinte vendeu 180 livros eletrônicos para cada cem de capa dura. "Historicamente, há um estigma ligado à traça de livros -algo derivado da ideia infundada de que, se você está lendo, não está socializando", explica Paul Levinson, da Universidade Fordham.

Leia a matéria completa em http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/projeto-da-ufrj-digitaliza-colecao-brasiliana

 

Fonte: Folha de S.Paulo

—————

Voltar