Folio: uma opção para as bibliotecas se tornarem mais livres

10/10/2018 16:35

Milton Sintaku 1

Janinne Barcelos 2

Ronnie Fagundes de Brito 3

Ingrid Torres Schiessl 4

Ítalo Barbosa Brasileiro 5

Tiago Rodrigo Marçal Murakami 6

 

A partir da metade do século passados as bibliotecas iniciaram a sua informatização, num processo evolutivo que resultou na chamada Open Public Access Catalog (OPAC), no qual o acervo fica disponível para a verificação de disponibilidade, reserva, renovação de empréstimo, entre outros serviços de forma online. Assim, inicialmente as instituições que mantinham as bibliotecas desenvolviam sistemas caseiros, de modo a ofertar os serviços da biblioteca, sendo sistemas únicos, que nem sempre atendiam a contento a biblioteca. 

Posteriormente, algumas empresas comerciais iniciaram o desenvolvimento de sistemas de gestão de bibliotecas, que podiam ser implementados em diferentes instituições, utilizando licenças de uso.  Para tanto, fizeram o uso de padrões de metadados como o Marc 21, de forma que permitissem a troca de informação entre sistemas, por meio de protocolos como o Z39.50. Da mesma forma que possibilitaram o catalogamento cooperativo, visto que utilizam um mesmo padrão de metadados e forma de preenchimento.

Com o advento do softwares livres, surgiram algumas iniciativas, sendo que a mais abrangente foi o Koha, possuindo instalações em vários países no mundo. Essa nova modalidade de ferramenta mudou o modelo de negócio, em que não há cobrança de licenças de uso, mas que pode ser uma oportunidade de ofertas de serviços, com pagamento para suporte, apoio, implantação, entre outros.

Nesse contexto, uma nova opção está em desenvolvimento, fortemente amparada por uma comunidade de usuários oriundos de vários países e financiada por empresas como a EBSCO, denominada de FOLIO. Uma proposta inovadora, baseada no conceito de plataforma integradora, no qual os serviços são ofertados por aplicações (APP), integrados por uma camada de comunicação, apoiada por uma infraestrutura que oferta acesso aos recursos computacionais, como mostra a figura a seguir.

https://deolhonaci.com/_files/200000217-b93dbba376/Sem%20t%C3%ADtulo.jpg

Assim, a interface do usuário acessa as aplicações oferecidas por módulos, os quais podem ser adicionados ou removidos conforme a necessidade, dando uma maior flexibilidade ao software. Adaptável a todos os tipos de instituições, visto que pode-se instalar apenas as aplicações desejadas, acessando-as de forma integrada pela interface de usuários. Caso seja necessário processamento técnico e circulação, instala-se apenas esses módulos, mas se precisar de biblioteca digital, adiciona-se também este outro módulo. Com isso, tem-se a ferramenta ofertando os serviços de biblioteca que precisar.

O Fólio se apresenta como uma boa oportunidade para todos, uma vez que: as bibliotecas ganham um software livre moderno e adequado às suas necessidades; os informáticos, por sua vez, podem ofertar suporte ou desenvolvimento de novas funcionalidades e; empresas podem oferecer desde hospedagem e treinamentos, até integração às bases de conhecimento por assinatura. Isto é, mesmo em fase de desenvolvimento, o Fólio mostra-se como estratégia favorável para ampla gama de profissionais, já que o projeto objetiva a implementação de uma plataforma abrangente e capaz de lidar com as diferentes formas dos conteúdos de informação.

Promissora, esta plataforma direciona o futuro das bibliotecas para um serviço de informação aberto. Seu modelo de estruturação apresenta-se como boa solução para equilibrar os níveis de automação das bibliotecas e, também, para preservação de boa parte do patrimônio bibliográfico. Para tanto, é necessário compreender e discutir as novas perspectivas e modelos de negócio no segmento da tecnologia documental que este projeto oferece. Dessa forma, convida-se estudiosos, bibliotecários, informáticos e demais interessados a conhecer o Fólio por meio do link: https://www.ebsco.com/products/ebsco-folio-library-services

 

 

1 Doutor em Ciência da Informação – Ibict.

2 Doutoranda em Ciência da Informação – Ibict

3 Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento – Ibict

4 Mestranda em Ciência da Informação – Ibict

5 Doutorando em Informática – Ibict

6 Bibliotecário – USP







 

 

—————

Voltar